05 agosto 2013

ser mais bonita em paris

hoje o silêncio corrompe ainda mais.
de tão inesperado que é,
evito revisitar palavras apagadas;
de nada me serve.
o silêncio é, afinal, o contrário do vazio. 

por ti aprendia Francês,  
para que juntos ao anoitecer, com os gatos aos nossos pés num quarto clandestino, iluminado apenas por uma vela,
tu adormecesses com a cabeça reclinada sobre os meus seios,
enquanto te lia Zola.