25 setembro 2013

insónia #60

a noite susbtitui-me os sonhos

madrugada,
uma fenda de sol irrompe pela janela,
passeando-se, alegremente, pelo meu quarto.
despertei com o timbre da tua voz

bonita
os teus lábios sobre os meus

resta-me
a espera
ou
perfilhar o abandono

dizer adeus aos deuses
devolver à estante um livro de histórias inacabadas
acolher a morte como o último abraço que não foi

os lençóis ao abandono. uma cama por fazer:
conservá-la assim
até ao dia do teu regresso
é distrair a morte
ou
defraudar a vida.