16 setembro 2013

o outro lado da moeda

depois há outras horas. às vezes prolongam-se no tempo e espaço.
quando ainda vens
fazes sombra ao pouco sol que me enche a vida.

o coração, cheio de nada.
não há sonatas que abafem o quanto padeço.

tem dias.
faz um bocado de luz quando te presumo em sossego.
saber que jamais te saberei são nuvens.